SEO para blogs corporativos

A importância do SEO para os blogs corporativos

O SEO para os blogs corporativos é uma estratégia efetiva importante que promove resultados em médio a longo prazo para toda e qualquer empresa interessada em se destacar na Web para vender seus produtos de forma escalável.

Até porque, o SEO (do inglês Search Engine Optimization) é uma técnica gratuita que gera tráfego e notoriedade para qualquer site, dispensando momentaneamente a necessidade de campanhas pagas pontuais.

De maneira bastante resumida, é através do SEO que os internautas conhecem e acessam a sua página na Internet.

Esta descoberta acontece através dos mecanismos de busca, sendo o principal deles o Google, que possui 92,18% do market share global.

Os outros mecanismos de busca disponíveis são:

  • Microsoft Bing (8,04%)
  • Baidu (7,34%)
  • Yahoo! (3,39%)
  • Yandex (1,53%)
  • Ask (0,72%)
  • DuckDuckGo (0,32%)
  • Naver (0,13%)
  • AOL (0,06%)
  • Seznam (0,05%)

Ainda, é importante mencionar a importância do YouTube, um dos produtos da Google, considerado o segundo maior mecanismo de busca do mercado.

Sim, apesar de encontrarmos todo o tipo de material em vídeo nesta plataforma, ela também é utilizada para pesquisas das mais variadas naturezas e finalidades.

Mas por que o SEO é importante para o blog da sua empresa?

Muitos empreendedores pensam que, para se tornarem “conhecidos” , basta criar um canal no YouTube ou em qualquer outra rede social, como Facebook e  Instagram, e sair postando.

Na verdade, o caminho é um pouco mais longo…

Ao decorrer deste artigo, você entenderá que existem alguns tipos de SEO que devem ser trabalhados dentro do seu site.

São eles: o SEO local, o SEO On Page e o SEO Off Page.

Cada um tem suas características marcantes e que se complementam dentro da estratégia de marketing digital e na produção de conteúdo.

Explicaremos.

SEO para blogs corporativos: o conceito

google analytics
O Google Analytics é uma perfeita ferramenta para coleta de dados. Créditos: Unplash

Uma estratégia de marketing digital para blogs corporativos passa por algumas etapas importantes antes de sua execução. Dentre elas, podemos citar as mais comuns:

  • Definição da buyer persona (cliente ideal)
  • Meio de propagação da mensagem (mídias sociais, blogs, canais)
  • Links patrocinados (anúncios no Google e mídias sociais)
  • SEO local, On Page e Off Page

Além do mais, as possibilidades de vendas dentro da Internet são infinitamente maiores, se comparadas ao varejo tradicional.

Segundo a 44ª edição do Webshoppers, um amplo relatório sobre comércio eletrônico brasileiro elaborado pela Ebit | Nielsen e realizado em parceria com o Bexs Banco, o faturamento bateu recorde de vendas no primeiro semestre de 2021, atingindo R$ 53,4 bilhões.

Este número é 31% maior do que o alcançado no mesmo período de 2020, quando começou a pandemia.

Logo, podemos afirmar com a mais absoluta tranquilidade que o mercado digital tem capacidade de atender centenas de estádios do Maracanã lotados, além de efetuar conversões expressivas.

Nesse ínterim, muito se passa pela estratégia de SEO: além da definição da persona, temos a escolha das palavras-chave corretas, que serão utilizadas tanto para os links patrocinados quanto nos artigos do blog.

Quanto à produção de texto, temos também a seleção de imagens relacionadas, que também passam pelo processo de SEO. Quando bem feito, um único blogpost pode gerar milhões de visitas.

Vamos agora entender um pouco sobre as etapas de uma estratégia de marketing digital.

As etapas da estratégia de marketing digital para blogs corporativos

É preciso definir a sua persona, meio de propagação, investir em links patrocinados e entender os tipos de SEO existentes. Créditos: Divulgação

Definição da buyer-persona (ou cliente ideal)

Para definir o que é uma buyer-persona, recorremos ao livro “Obrigado pelo Marketing”, escrito por Vitor Peçanha, co-fundador da Rock Content. Esta agência é considerada uma das maiores da América do Sul no segmento de marketing digital. 

A persona é uma personagem fictícia que representa o seu consumidor ideal e para qual você criará todo o conteúdo de seu marketing. Essa personagem tem nome, idade, interesses dentro e fora do trabalho e várias outras características relevantes para que ela seja a representação mais próxima possível de uma pessoa”. 

Peçanha também afirma que a definição da persona é válida tanto para o B2C (empresas para consumidor final) como para o B2B (empresa para empresa). Para ele, “todo mundo vende para pessoas, a diferença é que algumas delas representam uma empresa, outras não”. 

Além disso, é importante frisar que a persona é elaborada através de dados, e não de “achismos”. 

Segundo Rafael Rez, considerado um dos maiores nomes do marketing brasileiro, “a construção de personas precisa estar fundamentada em dados analíticos, e nunca de palpites.”. 

Rez cita como exemplo a utilização de dados gerados pelo Google Analytics, uma ferramenta gratuita de coleta de informações que pode ser facilmente instalada no seu site ou blog, independente da sua linguagem (WordPress, Joomla, Ghost, Magento, etc.). 

Isso porque o Analytics consegue detectar como as pessoas pesquisam e chegam ao seu site, mediante os termos utilizados nas pesquisas do Google. 

Ainda, existem outras maneiras de se criar personas, tais como:

  • Pesquisas de satisfação
  • Observação de uso
  • Entrevistas
  • Experimentos

Estas e mais informações estão disponíveis no livro “Marketing de Conteúdo: a moeda do século XXI”, que recomendamos fortemente para todas as pessoas que se interessam pelo assunto. 

Meio de propagação da mensagem (mídias sociais, blogs, canais)

Definida a persona, vem a etapa de definir o meio por onde a sua mensagem será propagada. E, quando se refere à conteúdo, existem várias maneiras para que a sua ideia alcance o cliente ideal. 

Os meios mais comuns de propagação são:

  • Blogs corporativos
  • Mídias Sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn, etc.)
  • Canais interativos (YouTube, Vimeo, etc.)
Exemplo de review para o novo iPhone 13, da Apple. Fonte: Canaltech

Para se ter uma ideia, o Search Engine Journal (SEJ) publicou recentemente um artigo a respeito dos anúncios em forma de vídeo, que estão em alta e serão modus operandi da próxima década. 

Entre as diversas afirmações, constatou-se com uma pesquisa da Wyzowl que 84% dos internautas realizam uma compra  de um produto ou serviço após assistirem ao vídeo relacionado.

Ou seja, esta é uma forma de se fazer conteúdo que dá resultados.

Em termos práticos, você pode desenvolver um canal no YouTube, focado em avaliações ou demonstração de produtos e serviços. 

E mesmo no YouTube, é possível trabalhar com SEO, utilizando as tags corretas e títulos chamativos para que seu material seja facilmente encontrado

As mídias sociais, por sua vez, servem para se conectar com o seu público e a sua buyer persona. 

Porém, é importante frisar que elas fazem parte do que chamamos de “terreno alugado”: estamos lá por um determinado período, e caso haja falhas no sistema, como queda de serviço, não há muito o que se fazer. 

Lembra do apagão do Facebook em 2021

Além desta rede, também ficaram fora do ar o Instagram e o WhatsApp, duas potentes ferramentas de vendas para milhares de pessoas e empresas. 

Logo, a melhor maneira de desenvolver sua marca e criar uma clientela no ambiente digital é através do seu próprio site e blog corporativo

Links patrocinados (anúncios no Google e mídias sociais)

exemplo de links patrocinados
Exemplo de links patrocinados no Google. Créditos: Divulgação

Os links patrocinados são, na verdade, aqueles anúncios que aparecem no topo do Google, quando realizamos uma pesquisa qualquer. 

Resumidamente, é uma forma de se gerar tráfego com maior intensidade para eventos pontuais, ou para simplesmente alavancar o site de uma empresa de maneira mais rápida. 

Para gerar links patrocinados, é preciso ter uma conta no Google Ads. A partir da configuração da persona, tipo de anúncio e verba disponível, o Google mostra banners do seu negócio em pontos estratégicos no mecanismo de busca. 

Ou seja, dependendo do valor aportado e persona, a sua campanha terá um determinado alcance.

Quanto maior a quantia, melhores são as chances de conversão e da mensagem chegar para a pessoa correta. 

Nas mídias sociais, este serviço é realizado pelas seguintes plataformas:

  • Facebook Ads (válido para Facebook, Instagram e WhatsApp)
  • LinkedIn Ads
  • Twitter Ads
  • Pinterest Ads

Todas funcionam com os mesmos objetivos (impulsionamento de publicações, curtidas, conversões, etc.). 

SEO local, On Page e Off Page 

Exemplo de SEO Local
Exemplo de SEO local. Crédito: Divulgação

Neste tópico, falaremos um pouco sobre os conceitos de SEO local, SEO On Page e SEO Off Page. Todos possuem o mesmo objetivo, que é alavancar a sua página para o topo das pesquisas do Google. 

Porém, cada tipo de SEO possui técnicas e particularidades bastante interessantes. Vamos lá. 

Se você tem um estabelecimento físico de bairro, seja um restaurante, uma loja de roupas, conveniência, lavanderia, o SEO local é algo que precisa ser colocado em prática, mesmo que você não possua um site próprio. 

Segundo um levantamento feito pela HubSpot, 46% dos usuários de smartphone buscam por lojas, restaurantes e serviços na região em que se encontram.

E, segundo estatísticas da LSA Insider, 90% de todas as compras ainda são feitas nas lojas físicas de bairro nos Estados Unidos. Quando a marca e a localização de lojas se unem, 85% de todo o engajamento dos clientes se dá por páginas locais (Facebook Local, Google Local Guides, Yelp!, etc.).

Em termos de Brasil, funciona da seguinte maneira: se eu estiver em horário de almoço na região dos Jardins, em São Paulo, e quero comer em um restaurante italiano, o Google me fornecerá uma lista dos melhores e mais bem cotados na região em que me encontro.

E de que maneira o SEO local funciona? 

O SEO local funciona graças a um componente geográfico – o local exato onde você está, naquele momento – que o diferencia do SEO comum. Pode ser o Google Maps, Bing Maps, Yahoo, MapQuest, enfim. Estes dados são habilitados no seu próprio smartphone. 

Normalmente, os usuários utilizam termos de buscas como “próximos de mim” ou “perto de mim”, seguidos de outras palavras específicas (“restaurantes”, “lavanderias”, “lavagem de sofá”, “troca de óleo”, etc.).

Com isso, o Google tende a oferecer a melhor experiência de pesquisa possível aos seus usuários, dedicando os seus esforços para oferecer os melhores resultados no tempo mais hábil.

Ao digitar estes termos no Google, logo no topo aparecerá um campo em destaque com pelo menos três estabelecimentos daquela região, com avaliações, fotos, telefone de contato, site, etc. 

O SEO On Page, por sua vez, é como otimizamos o nosso próprio site de modo que seja “amigável” aos robôs do Google. O que isso significa?

Existem algumas técnicas que devem ser colocadas em prática, como:

  • Title Tag: o título do seu site e como ele aparecerá nos mecanismos de busca
  • URL: endereço da sua página, que deve ser o nome da sua empresa ou de uma palavra-chave específica que você quer posicionar
  • Meta-descrição: breve descrição sobre um determinado blogpost ou até mesmo a página principal do site, com até 160 caracteres

Por fim, o SEO Off Page é toda a estratégia realizada fora do seu site. Em outras palavras, é quando divulgamos o material do nosso blog em outras mídias, ou seja, o compartilhamento de artigos e campanhas de marketing nas mídias sociais, YouTube, etc. 

Também entra aí o conceito de backlinks, quando outros sites passam a referenciar o seu blog de forma orgânica, compartilhando seus artigos em forma de hyperlinks em outros blogs. 

Como funciona o mecanismo do SEO?

Em definição, SEO é um conjunto de técnicas de texto e palavras-chave que facilitam o posicionamento de uma página dentro dos principais mecanismos de busca da Internet. Tais otimizações proporcionam buscas orgânicas, ou seja, sem custo para a sua empresa e podem alavancar maior número de negócios e clientes.

Em tese, este mecanismo funciona através do uso de determinada palavra-chave e termos similares, em conjunto com o posicionamento e repetição destes termos ao longo de um blog post, a legibilidade do texto, títulos e subtítulos, etc. 

Vamos por partes, para explicar de uma maneira mais simples e aprofundada.

Palavra-chave

A palavra-chave (keyword) é a base de um conteúdo. De fato, é ela que norteia o que o usuário encontrará naquele determinado blogpost. 

Ao contrário da pirâmide jornalística invertida, em que são respondidas seis perguntas principais já no primeiro parágrafo (o que, quem, onde, quando, como e por que), o blog post otimizado em SEO não responde a estas perguntas em um primeiro momento, priorizando a palavra-chave no início do texto, seguido de uma breve introdução. 

Nos parágrafos seguintes, ocorre uma variação de termos relacionados àquela palavra-chave, de maneira orgânica e intuitiva. 

Por exemplo, se a keyword é “bagagem de mão”, provavelmente os termos utilizados ao longo do texto são: mala de viagem, mala de mão, mala de bordo e assim por diante. 

Tudo isso é uma forma de sinalizar aos robôs do Google a respeito do tema que está sendo abordado naquele post, de modo a verificar a sua importância e posicioná-lo nas pesquisas. 

Título SEO

O título SEO é a chamada que aparecerá nos mecanismos de busca. Geralmente, deve ser chamativa, para atrair o leitor, com determinado número de caracteres. 

Um detalhe importante sobre os títulos SEO é que eles não precisam ser exatamente iguais aos títulos originais do seu blog post. Em outras palavras, você até pode “estourar” a chamada no blog, desde que ela seja otimizada para o Google.

Os títulos SEO, em sites WordPress, são editados via plugins específicos, como o Yoast SEO, Rank Math e All-in-One SEO

Meta-descrição

A meta-descrição seria a “linha fina” do post. Em outras palavras, a descrição otimizada daquela página. 

Geralmente é composta por 160 caracteres e resume sobre o assunto daquele post ou página, de maneira intuitiva e que desperte o interesse do leitor. 

A meta-descrição também é editada pelos plugins Yoast, Rank Math ou All-In-One. 

Google Meu Negócio

Página do Google Meu Negócio
O Google Meu Negócio é a melhor ferramenta para alavancar seu negócio, sem a necessidade de um site. Créditos: Divulgação

O Google Meu Negócio é uma ferramenta gratuita que auxilia o crescimento e relevância do seu empreendimento em poucos cliques. O cadastro é muito simples e pode ser feito em poucos passos.

A grande sacada do Google Meu Negócio é que, ao validar todas as informações sobre a sua empresa, o posicionamento dela no ranking de pesquisas sobre rapidamente em poucos dias. 

Isso porque esta ferramenta insere informações importantíssimas sobre o seu negócio, como telefone de contato, endereço do website (se houver), horário de funcionamento, rotas e endereço físico completo. 


Essas informações ficam do lado direito da pesquisa, no topo, com fotos e avaliações de todas as pessoas que visitaram ou conhecem determinadas empresas. 

Quanto mais avaliações positivas, melhor é para a sua estratégia de SEO local e para o estabelecimento em si, pois ganha notoriedade dentro do seu bairro ou região. 

Considerações finais sobre o SEO

Veja abaixo algumas considerações importantes sobre o SEO para blogs corporativos e o quanto eles são importantes para o seu negócio. 

E aí, gostou deste conteúdo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos!

Jornalista que atuou durante 10 anos no segmento de infraestrutura de transportes. Hoje, trabalha como redator de conteúdo para vários nichos.

2 comments On A importância do SEO para os blogs corporativos

  • Bacana, Maravilha seu conteudo, apenas para complementar, tem um programa chamado: PCG Programa Classificados Grátis, esse Software é um agregador de sites de classificados, ele tem mais de 340 sites de classificados grátis onde você pode anunciar, usando esse programa você pode anunciar automaticamente nesses sites, vale muito a pena usar ele agiliza muito o trabalho além de te dar uma lista que sempre é atualizada com sites novos, com esse programa você consegue gerar trafego orgânico e assim receber visitas dos buscadores como o Google e outros, eu sempre usei esse programa para anunciar e faço vendas praticamente usando só ele. Fica ai a sugestão… Seu texto me ajudou muito. Ate uma próxima

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer