Prefeitura de Sorocaba lança PMI do VLT até o final de março

A Prefeitura de Sorocaba, no interior de São Paulo, deve lançar até o fim deste mês os documentos do PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) para a construção de uma rede de VLT entre Brigadeiro Tobias até George Oetterer.

O anúncio foi feito durante o 1º Seminário de Mobilidade Urbana Sustentável e Infraestrutura, que foi realizado no último dia 15 no Parque Tecnológico de Sorocaba.

Este evento foi promovido pela Secretária de Planejamento e Projetos de Sorocaba (Seplan), chefiada pelo secretário Luiz Alberto Fioravante, em parceria com a Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas (Serim).
A ideia é aproveitar o traçado ferroviário existente. Até então, a cidade estava dividida entre a implantação de corredores BRT (Bus Rapid Transit) ou de VLT, e acabou optando pelos dois modais.

O prefeito de Sorocaba, José Crespo, na abertura do evento sobre o VLT. Foto: Divulgação
“Acredito na viabilidade técnica do transporte ferroviário urbano em nossa cidade e sei que este é o item mais desafiador do nosso plano de governo”, destacou o prefeito José Crespo, na abertura do seminário, que contava com um público de aproximadamente 300 pessoas, entre autoridades municipais, estaduais, empresários do setor e funcionários públicos.

Dentre os executivos presentes, estava o diretor-presidente da EMTU, Joaquim Lopes da Silva Júnior, que comentou sobre o benchmark da Baixada Santista. “Acabamos de implantar mais 8 quilômetros de VLT na Baixada Santista. O mais importante é esta sinergia e a disposição de vocês em tomar uma série de providências para implantar este projeto. Estamos dispostos a ajudar no que for possível”, ressaltou.

 

O VLT de Santos é o benchmark paulista do transporte ferroviário. Foto: Divulgação

PMI. Os interessados deverão apresentar solicitação de autorização e um Grupo de Trabalho da Prefeitura de Sorocaba vai analisar num prazo de 15 dias. A autorização será outorgada pela Seplan, a fim de que os interessados autorizados possam elaborar dois estudos para o desenvolvimento dos produtos finais: estudos de reurbanização do entorno da faixa ferroviária e estudos de transporte de passageiros sobre trilhos.

Os interessados poderão solicitar autorização para ambos ou um dos produtos solicitados.

Os estudos de reurbanização do entorno da faixa ferroviária terão proposição de estratégia de adensamento do projeto; proposição do plano urbanístico de áreas públicas e da infraestrutura de suporte; avaliação do potencial de mercado de terrenos públicos; avaliação e proposição de incentivos, restrições e obrigações tipológicos do projeto urbano; recomendação de estratégia para cobrança de contrapartida; e modelagem jurídica.

Já os estudos de transporte de passageiros sobre trilhos terão estudos de demanda; definição da tecnologia a ser adotada para o serviço; estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental; projeto funcional; estudos tarifários e econômico-financeiros; memorando executivo de implantação de empreendimento; diretrizes para delegação do serviço à iniciativa privada; e estudo de viabilidade jurídica.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of