alstom tgvdufutur - Alstom acumula 7,2 bilhões de euros em pedidos; cifra não engloba o Brasil

Alstom acumula 7,2 bilhões de euros em pedidos; cifra não engloba o Brasil

A multinacional francesa Alstom, considerada uma das líderes em transporte ferroviário e mobilidade urbana no mundo, divulgou o seu balanço comercial fechado entre abril de 2017 e 31 de março deste ano. Estão acumulados 7,2 bilhões de euros em pedidos. Neste período, a empresa constatou que as vendas atingiram € 8,0 bilhões, correspondendo a um crescimento excepcional de 9% (10% organicamente).

Os pedidos recebidos foram:

  • África do Sul, para a PRASA;
  • contratos de manutenção de quase 100 VLT para o Canadá;
  • trens Pendolino na Itália;
  • trens regionais na França, Alemanha, Senegal e Itália;
  • carros de metrô para o Vietnã e as Filipinas;
  • metrô e sinalização em Cingapura;
  • metrô na França;
  • manutenção na Suécia;
  • sistema de tração para o Metrô de Nova York;
  • projeto de modernização da frota nos Estados Unidos.

No Brasil, porém, a empresa não está fornecendo material rodante para nenhuma metrópole, assim como todos os seus concorrentes. O único contrato para trens de passageiros foi fechado no ano passado em São Paulo, com o fornecimento de apenas 8 trens para a nova Linha 13 da CPTM, cujo vencedor foi um consórcio formado pela chinesa Syfang e a brasileira Temoinsa.

O trem regional Coradia iLint, desenvolvido pela Alstom na Alemanha, é o primeiro trem movido a hidrogênio com emissão zero. Fonte: Alstom/YouTube

América Latina. O único país que demanda uma grande compra de material rodante e renovação de toda a sua infraestrutura ferroviária hoje é a Argentina: o projeto RER (Red de Expresos Regionales), avaliado em mais de US$ 14 bilhões, fará uma grande revolução em todo o transporte ferroviário de média distância entre Buenos Aires e La Plata. Somente para a compra de trens, a licitação é de US$ 3 bilhões, e é onde a Alstom e as demais concorrentes brasileiras – CAF, Hyundai Rotem e Bombardier – apostam suas fichas.

Nos anos recentes, a multinacional francesa forneceu, através da sua fábrica na Lapa, em São Paulo, 60 trens Metropolis para a SBASE, que controla o metrô de Buenos Aires. Todo o material rodante foi destinado para as linhas D e H, e já circulam em caráter comercial.

A licitação do RER aconteceria no início de maio, porém foi postergada para julho deste ano.

Deixe um comentário

avatar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  Subscribe  
Notify of